Carlos Filipe Ximenes Belo (1948-): Porta-voz e protetor do povo timorense

Carlos Filipe Ximenes Belo nasceu em Wailacama-Venasse, Baucau a 3 de Fevereiro de 1948.

Iniciamos com uma breve resenha biográfica complementada com uma seleção de fotografias de momentos passados na UA e que fazem parte do nosso arquivo fotográfico.

Estudou sempre em escolas missionárias, graduou-se em 1973, no Seminários de Dare. Entre 1975 e 1976, esteve em Macau, no Colégio Dom Bosco, não presenciando a chegada das tropas indonésias ao território timorense.

Pouco tempo depois, partiu para Portugal, onde estudou filosofia religiosa na Universidade Católica de Coimbra. Em 1981, voltou a Timor com a intenção de ajudar a manter viva a religião católica, bastante limitada pela presença e pelo domínio dos indonésios, maioritariamente muçulmanos. O enorme contacto com a juventude, em parte devido às necessidades de apoio à comunidade, e as crescentes pressões diretas do domínio das autoridades militares indonésias, levaram-no a resistir abertamente, recusando-se sempre a obedecer às regras do invasor.

Em 1983 é nomeado, pelo Papa João Paulo II, administrador da Diocese de Díli sendo em 1988 ordenado bispo. Em 1989 apelou, junto das Nações Unidas, à realização de um referendo que permitisse ao povo timorense expressar a sua vontade. Com o tempo, tornou-se na voz timorense de apelo à paz e a liberdade, ousando condenar publicamente a crueldade e o abuso das forças armadas, a guerra psicológica e as constantes violações dos direitos humanos, ao povo maubere.

Permanece como um dos símbolos da resistência e grande aliado dos timorenses contra a ocupação indonésia e como reconhecimento do percurso ao lado do seu povo, partilhando sacrifícios e sofrimentos pela defesa dos direitos do povo maubere, foi-lhe atribuído, conjuntamente com Ramos-Horta, o Prémio Nobel da Paz em 1996. Prémio que trouxe novas esperanças à questão dos direitos humanos e da autodeterminação dos timorenses.

D. Carlos Ximenes Belo. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [Consult. 2014-06-24]. Disponível em: <URL: http://www.infopedia.pt/$d.-carlos-ximenes-belo,3>

“A convite da Associação Académica da Universidade de Aveiro, esteve (em 1997) na Universidade de Aveiro (…), a fim de proferir uma conferência/debate sobre a  Acção da Igreja em Timor Leste, formação e sensibilização da juventude para a defesa dos direitos humanos. (…) foi nomeado sócio Honorário desta associação por se afirmar como um referencial para qualquer estudante universitário.”

                      Folha Informativa, Junho 1997, p.8

Em Maio de 1998 foi doutorado Honoris Causa pela Universidade de Évora, e em Agosto do mesmo ano condecorado com a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade pelo então Presidente Jorge Sampaio, sendo igualmente «doutor Honoris Causa» pela Universidade do Porto em Outubro de 2000, juntamente com Xanana Gusmão e José Ramos – Horta.
Regressou ao nosso país em Maio de 2003 no âmbito da semana CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, para abordar o tema Timor, um ano depois…um olhar de esperança no futuro,  voltando a estar presente, presidindo a Bênção de Finalistas da Universidade de Aveiro, em Maio do corrente ano.

Ximenes -1997

Visita de Ximenes Belo, à UA -Maio de 1997

 Visita de D. Ximenes Belo, à UA, no âmbito da Semana CPLP - Maio 2003

Visita de D. Ximenes Belo, à UA, no âmbito da Semana CPLP – Maio 2003

 

Esta entrada foi publicada em Arquivo com as tags . ligação permanente.

2 respostas a Carlos Filipe Ximenes Belo (1948-): Porta-voz e protetor do povo timorense

  1. D. Ximenes Belo esteve na UA em Maio de 1997 e em Maio de 1998 a convite do Presidente da Associação Académica de então, instituição da qual é sócio-honorário (atribuição aceite em maio de 1998). Para além disso, é de assinalar o lançamento em maio de 1998 da campanha “Bolsas para Timor”, com a sua presença. esta campanha reuniu muito dinheiro para apoio a estudantes timorenses, ainda antes do referendo de 99. realizou-se até 2000, 2001, com fruto assinalável. A conta bancária era assinada pelo Reitor, pelo Bispo de Aveiro, pelo Presidente da AA e, se não me engano, pelo diretor do Centro de Área Educativa de Aveiro. A campanha tinha uma lista de personalidades nacionais e locais que a apoiavam e era seu patrono o próprio Presidente da República, Doutor Jrge Sampaio!

    • Dora Susana diz:

      Caro Dr. Ângelo Ferreira,
      O objetivo deste projeto, no blogue do Arquivo, é recordar alguns eventos, pessoas e factos que fazem a História da UA, sempre recorrendo a documentos existentes no Arquivo. Não é nossa intenção ser muito exaustivos nem apresentar numa notícia, todas as visitas realizadas, neste caso por D. Ximenes Belo, à UA .
      Nesta notícia, demos mais ênfase à sua vista em 1997, mas outras virão… Outra oportunidade para recordar D. Ximenes Belo surgirá com certeza.

      Esta notícia foi publicada no nosso blogue em 2014 e desde então temos vindo a reformular e melhorar algumas das nossas rubricas.

      Agradeço-lhe as suas sugestões.

      Grata pelo comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *