Gestão de dados de investigação: por onde começar?

 

Research data includes the data, files, and other records, produced as part of scientific research that provide evidence about and validate the research findings
Guy, M., & Ploeger, L. (2015). PASTEUR4OA Briefing Paper: Open Access to Research Data, 1–11. 

Os dados científicos incluem todos os registos produzidos, obtidos ou usados durante o processo de investigação e podem assumir várias formas: registos de texto, imagem, vídeo, audio; tabelas, resultados de questionários, entrevistas, observações, simulações, experiências; artefatos, fotografias, contribuições em redes sociais, entre outros tipos de formas e formatos.

Scheme from University of California- Irvine http://www.lib.uci.edu/dss

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A gestão de dados é fundamental para a sua utilização plena e para a validação dos respetivos resultados de investigação. Engloba por isso, a organização, arquivo, tratamento, preservação e partilha da informação utilizada e gerada durante um projeto de investigação.

No Kit de Gestão de dados Científicos do RCAAP, é proposto um modelo para efetuar a gestão, combinando três fases distintas, no processo de gestão de dados de investigação:

fases de planeamento, em que deverão fazer-se as primeiras reflexões quanto à produção, preservação e partilha de dados num Plano de Gestão de Dados (PGD) que, frequentemente, constitui um requisito dos financiadores de ciência, aquando da submissão de projeto e concurso a financiamento.

Na fase de produção são criados os primeiros dados no âmbito desse mesmo projeto e ocorrem todos os procedimentos e transformações aos dados, para que possam ser posteriormente publicados, passando deste modo do domínio restrito ao domínio público.

Na fase de disseminação podem ser acedidos e reutilizados gerando, eventualmente, novos dados de investigação e dando novamente reinício ao ciclo de dados.


em resumo, o que implica?

criação de um plano de gestão de dados (recolher e definir os requisitos iniciais)

organização dos dados em coleções de informação e formato comuns (datasets)

descrição dos dados/datasets (metainformação)

depósito dos dados científicos num repositório

reutilização através da atribuição de Licenças Creative Commons

partilha de informação sobre as ferramentas utilizadas ou compatíveis para o uso dos dados

 

 vantagens da gestão de dados

permitir a reutilização dentro de outros contextos

aumentar o impacto da investigação

melhorar a acessibilidade

prevenir o uso inadequado

salvaguardar os dados produzidos

assegurar cumprimento dos requisitos dos financiadores

 

+ plano de gestão de dados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *