Batata

Já que no artigo anterior falei da iniciativa deste ano não devo deixar passar mais tempo para aqui também referenciar que 2008 foi o Ano Internacional da Batata. Esta iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), para recordar que o terceiro alimento mais importante do mundo (só ultrapassado pelo arroz e trigo) pode ser a solução para a fome e a pobreza de parte substancial dos Seres Humanos do planeta não foi, pelo menos em Portugal e de forma visível, muito divulgada e menos ainda celebrada. A importância deste alimento e do destaque dado advém essencialmente de três razões:

  1. o seu cultivo permite a produção de mais alimento em menos tempo,
  2. adapta-se aos climas mais difíceis e
  3. necessita de pouco solo para crescer.

Aproveitando esta oportunidade e porque pode ser um bom contexto para uma educação CTS, destaco alguns factos e informações sobre a batata:

·         é rica em proteínas, vitaminas B e C, ferro, magnésio e potásio;
·         é um tubercúlo de um planta herbácea, que consegue viver durante cerca de um ano atingindo, por norma, um metro de altura;
·         parece ter sido oriunda do Perú e Bolívia e ter alimentado os Índios, tendo mesmo dado origem à cidade de Cuzco; foram os navegadores Portugueses e Espanhóis que a troxeram para a Península no século XVI e daí foi sendo distribuída por toda a Europa; destaca-se, na sua história, que no século XIX foi atingida pela peste e tal provocou fome e muitas mortes, especialmente entre os Irlandeses;
·         existem cerca de 7500 variedades que se diferenciam principalmente pelo tamanho, cor, textura, forma e sabor; existem cerca de 200 espécies silvestres e outras já resultantes da engenharia genética;
·         podem ser confeccionadas de 1001 maneiras e têm muito pouca gordura, mas o modo como se cozinham pode ser mais ou menos energética; por exemplo, 100 gr de batatas cozidas podem fornecer 80 a 90 kilocalorias, enquanto que a mesma massa se for frita pode fornecer 500 kcal;
·         conservam-se melhor em lugares escuros e frescos, em torno dos 10°C;
·         foi o 1º vegetal cultivado pela NASA no espaço para servir de alimento em missões de longa duração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *