Darwin

A propósito de comemorações e dado que no passado dia 12 de Fevereiro fez 200 anos que nasceu Charles Darwin (e também o 150º aniversário da publicação do livro “A Origem das Espécies”) não posso deixar passar a oportunidade para assinalar esse facto e destacar a iniciativa que o Pavilhão do Conhecimento está a desenvolver com o site:

http://www.darwin2009.pt/home/

Neste destaco para todos os interessados, particularmente professores dois links:

ACTIVIDADES DAS ESCOLAS (incluindo para o ensino básico)

RECURSOS EDUCATIVOS (especialmente os multimedia).

Com base nas observações efectuadas durante a viagem no barco Beagle além do livro anterior publicou: A Variação dos Animais e das Plantas sob a Domesticação (1868). Três anos mais tarde, como não tinha nestas obras sido explícito quanto ao Ser Humano, escreve: A Origem do Homem e a Selecção em Relação ao Sexo; este foi completado no ano seguinte com o livro: A Expressão das Emoções no Homem e nos Animais.

Trata-se, do meu ponto de vista, de uma teorização que se propicia, em múltiplas vertentes, ao uso do pensamento crítico, como por exemplo a capacidades ligadas ao “suporte básico” (onde e em quê se baseia esta teoria?).

2 thoughts on “Darwin”

  1. Ao publicar o “A Origem das Espécies”, Darwin revolucionou o modo como analisamos a natureza que, a partir de então, passa a ser considerada como uma entidade dinâmica e não estática. Darwin foi seguramente um dos mais importantes homens da ciência de todos os tempos. As suas ideias continuam a influenciar a forma como olhamos para os seres vivos e explicamos muitos dos seus comportamentos ou mecanismos.
    Esperemos que as actividades desenvolvidas no âmbito da comemorações dos 200 anos do seu nascimento e dos 150 anos de publicação da sua obra mais marcante “Origem das Espécies” permitam aos portugueses um melhor conhecimento deste naturalista e da sua importância.

  2. concordo com a sua posição e agradeço o contributo. Todavia, como deve saber, apesar do enorme contributo do seu trabalho, nomeadamente no modo como passamos a “ver” o mundo, o mesmo tem trazido várias controvérsias e mesmo oposição assumida. Veja-se a situação de algumas escolas nos Estados Unidos que proíbem qualquer referência a todo o rico “pensamento crítico” de Darwin.
    Temos mesmo que continuar a apostar na cultura científica de todos; e no nosso país temos ainda um longo caminho a percorrer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *