Arquivo da Categoria: Ciência e Tecnologia

Encontros Científicos

Divulga-se aqui e apela-se à participação em dois Encontros:

  • XVII ENEC 2017 | I SIEC: Educação em Ciências em múltiplos contextos, que se realiza nos dias 14, 15 e 16 de setembro de 2017 na Escola Superior de Educação de Viana do Castelo . Estes será antecedido pela II Escola de Doutoramento ENEC mantendo os objetivos de criar um espaço para partilhar e discutir projetos de investigação em curso.  Poderá encontrar informação mais detalhada no site do encontro http://www.ipvc.pt/xviienec2017.

  • O outro que aqui se divulga é o II Encontro Nacional de Jovens Investigadores em Educação que se realizará na Universidade do Minho entre 2 e 3 de Junho: http://www.enjie.pt/# . A data limite para submissão de propostas é 6 de março (NORMAS DE SUBMISSÃO em: http://www.enjie.pt/docs/normas.pdf)

 

Revista CTS nº33

Acaba de ser lançado o último número (33) da Revista Ibero Americana de Ciencia, Tecnologia y Sociedad. Pode ser consultada e os artigos descarregados em: http://www.revistacts.net/volumen-11-numero-33

Conta, entre outros, com os seguintes artigos que destaco:

“Cinco Orientações para o Ensino das Ciências: a Dimensão CTS no Cruzamento da Didática e de Políticas Educativas Internacionais” | Alcina Mendes e Isabel P. Martins;

“Educação em Ciências e Matemática com Orientação CTS Promotora do Pensamento Crítico” | Celina Tenreiro-Vieira e Rui Marques Vieira;

“Práticas Integradas de Educação em Ciências: um Programa de Formação Contínua para Professores com Cariz CTS” | Ana V. Rodrigues e Patrícia João;

Boas leituras e comentários.

Captura de ecrã 2016-09-28, às 11.45.58

Diversos(idades)

Neste artigo venho divulgar um conjunto diverso de iniciativas e informações:

JustinoMagalhães-1

200 mil e bom 2016

Serve este último artigo de 2015 para agradecer aos já mais de 200 mil visitantes deste blogue nos últimos 7 anos. Tem sido interessante acompanhar as leituras e proveniências dos que acompanham as questões de educação que aqui brevemente se destacam! Mas faltam mais comentários dos leitores de qualidade e partilhas de outras iniciativas, perspetivas e publicações.

Talvez com mais provocações se tenham mais reações! Vamos ver…

Aproveito também esta quadra para desejar boas festas e um ano de 2016 com mais e melhor educação para todo/as.

Para apoiar a tomada de decisão e se poder participar de modo mais esclarecido, sobre as questões educativas e outras, aproveito para divulgar o Relatório do Desenvolvimento Humano 2014 em Português (http://hdr.undp.org/sites/default/files/hdr2014_pt_web.pdf)

bem como o de 2015 em Castelhano (http://hdr.undp.org/sites/default/files/2015_human_development_report_overview_-_es.pdf).

Capa do Relatório do PNUD de 2015
Capa do Relatório do PNUD de 2015

Educação CTS em 2016

Venho agora divulgar o N.º 2 do Boletim da AIA-CTS, o qual está publicado no site desta Associação sem fins lucrativos (http://aia-cts.web.ua.pt/wp-content/uploads/2015/09/AIA-CTS_Boletim_n2.pdf).

Tal como está na página 7 deste boletim aproveito este espaço para apelar à divulgação alargada do V SIACTS (http://seminariocts2016.web.ua.pt/) nas vossas instituições e contactos e particularmente que o recebimento dos resumos dos trabalhos, simpósios e posters decorrerá até ao final deste mês – 31 de outubro de 2015.

A seguir está o cartaz deste evento internacional que decorrerá na Universidade de Aveiro de 4 a 6 de julho de 2016.

cartaz_seminárioCTS_07setembro-01

APEduC

De regresso das férias venho anunciar a criação da Associação Portuguesa de Educação em Ciências (APEduC), que terá a sua sede na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Esta é uma associação de investigadores, de educadores e professores de ciências (investigação, divulgação e comunicação, formação e ensino de Física, Matemática, Química, Biologia, Geologia, Ecologia…), que pretende ser atuante com vista à inovação e à mudança da Educação em Ciências em Portugal e dos seus profissionais. 

Nasceu pela necessidade e importância e pela pressão nacional e internacional, para a existência de uma parceira portuguesa, nesta área científica. Ao mesmo tempo, a Associação é relevante para criar laços e colaborar ativamente com os países Lusófonos e da América Latina. A APEduC passará a liderar uma área do maior relevo para o desenvolvimento da Educação em Ciências, no ensino superior e nos ensinos básico e secundário e em outros contextos não formais. 

Estiveram presentes em Castelo Branco os três membros indigitados pela Assembleia Constituinte da Associação como Comissão Instaladora [Fátima Paixão, Instituto Politécnico de Castelo Branco; Cecília Galvão, Universidade de Lisboa e Laurinda Leite, Universidade do Minho]. Juntamente com os elementos da  Comissão Instaladora, Filomena Teixeira, do Instituto Politécnico de Coimbra; Alcina Mendes, do Agrupamento de Escolas de Ílhavo; Celina Tenreiro Vieira do Agrupamento de Escolas João Afonso de Aveiro e Rui Marques Vieira da Universidade de Aveiro, foi o grupo que viabilizou a possibilidade de se realizar a escritura notarial de constituição da APEduC, em tempo útil para que o XVI ENEC seja já o primeiro Encontro Nacional de Educação em Ciências realizado no pós constituição da nossa Associação Científica e Profissional!

Junto anexo o link onde está a reportagem sobre a constituição da APEduC:

https://www.youtube.com/watch?v=qXiyJnraeuo

Próximo Seminário CTS em 2016

Venho por este meio anunciar o V Seminário Ibero-Americano CTS / IX Seminário CTS, a realizar na Universidade de Aveiro, 4-6 julho de 2016, conforme aprovado pela Assembleia Geral da AIA-CTS realizada em Bogotá, em julho de 2014. O tema geral do Seminário será Desafios Societais na Educação em Ciências e Tecnologia, no qual se poderão inserir muitas das problemáticas atuais partilhadas pela comunidade científica.

Poderão aceder a algumas informações sobre o V SIACTS em http://seminariocts2016.web.ua.pt/, site que irá sendo atualizado regularmente.

 

Aproveito para apelar à participação desde já e solicitar a divulgação alargada deste Seminário, nas diversas redes de contactos e grupos de trabalho.

Livro sobre PC e CTS

A OEI – Organização dos Estados Ibero-americanos acaba de publicar um livro em que sou coautor e que pode ser encontrado nos sites seguintes:

http://www.oei.es/divulgacioncientifica/?Construindo-praticas-didatico

http://www.ibercienciaoei.org/doc2.pdf

Como está na contracapa esta obra:

….contextualiza e fundamenta o desenvolvimento de práticas didático-pedagógicas, para a educação em ciências nos primeiros anos de escolaridade, orientadas para a promoção da literacia científica e do pensamento crítico. Tendo por base estudos de investigação desenvolvidos pelos autores, o livro inclui um enquadramento teórico, fazendo emergir referenciais fundamentantes de atividades e estratégias promotoras da literacia científica e do pensamento crítico. Os exemplos de atividades e estratégias apresentados na segunda metade do livro, decorrente de estudos de investigação realizados e no âmbito dos
quais foram produzidos, implementados em sala de aula, e avaliados, revelaram proporcionar o desenvolvimento de capacidades de pensamento crítico e ajudaram inequivocamente os alunos a melhorarem os seus conhecimentos e a interessarem-se pela ciência“.

Boas leituras e se possível com comentários também aqui.

Capa do Livro
Capa do Livro

C+T+S

Tenho sido questionado sobre afinal como se pode definir atualmente Ciência (C), Tecnologia (T) e Sociedade (S). Não há uma única e consensual definição destes empreendimentos e que contemple tudo o que incluem a CTS.

Já escrevi sobre estes e suas inter-relações, nomeadamente na minha tese e livro de 2011 sobre a Educação CTS (ver publicações deste blog).  Todavia voltei a fazer uma pesquisa rápida e encontrei (mantendo no original) várias definições como as que a seguir se destacam.

CIÊNCIA:

  • Aikenhead (ver, por exemplo, em:  http://www.usask.ca/education/profiles/aikenhead/webpage/sts05.htm) define Ciência como “The study of the natural world we call science.”

  • Science is both a body of knowledge and a process. In school, science may sometimes seem like a collection of isolated and static facts listed in a textbook, but that’s only a small part of the story. Just as importantly, science is also a process of discovery that allows us to link isolated facts into coherent and comprehensive understandings of the natural world. (http://undsci.berkeley.edu/article/whatisscience_01)
  • According Webster’s New Collegiate Dictionary, the definition of science is “knowledge attained through study or practice,” or “knowledge covering general truths of the operation of general laws, esp. as obtained and tested through scientific method [and] concerned with the physical world.

TECNOLOGIA:

  • De acordo com o mesmo Aikenhead tecnologia tem a ver com  “The study of the artificially constructed world is technology. Technology is primarily concerned with developing knowledge and designing processes, in response to human needs and societal problems”.
  • In a research and development organisation such as ESA, technology is a concept of primary importance, so by necessity the definition of the word is precise: ‘technology is the practical application of knowledge so that something entirely new can be done, or so that something can be done in a completely new way.’ (da agência espacial europeia: http://www.esa.int/Our_Activities/Technology/What_is_technology);  People make tools in order to do tasks they cannot otherwise accomplish – engineering is actually defined as ‘the use of technology to solve specific technical problems’.
  • “Technology is a body of knowledge devoted to creating tools, processing actions and extracting of  materials. The term ‘Technology” is wide and everyone has their own way of understanding the meaning of technology. We use technology to accomplish various tasks in our daily lives, in brief; we can describe technology as products, processes or organizations. We use technology to extend our abilities, and that makes people as the most important part of any technological system. Technology is also an application of science to solve a problem. But what you have to know is that technology and science are different subjects which work hand-in-hand to accomplish a specific task or solve a particular problem “(http://www.useoftechnology.com/what-is-technology/).

SOCIEDADE

Diferenças entre Ciência e Tecnologia:

Além de muitos artigos disponíveis nas bases de dados e servidores de variadas instituições e revistas aconselho a visualização do quadro comparativo em:  http://www.diffen.com/difference/Science_vs_Technology

Afinal a visão que hoje é trabalhada desde o ensino básico ao superior é coerente com que realmente acontece nos vários campos de saber?

Ébola

A febre hemorrágica ou ébola é a doença provocada por um vírus mortal e altamente contagioso. Os sintomas têm início duas a três semanas após a infeção.
A primeira vez que este vírus surgiu, segundo o site dos Médicos sem fronteiras (http://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/ebola) foi em 1976, em surtos simultâneos em Nzara, no Sudão, e em Yambuku, na República Democrática do Congo, em uma região situada próximo do Rio Ebola, que dá nome à doença. Este e vários sites, como: http://pt.wikipedia.org/wiki/Febre_hemorr%C3%A1gica_%C3%89bolahttp://www.dgs.pt/paginas-de-sistema/saude-de-a-a-z/ebola.aspx) referem que  os morcegos frutívoros são considerados os hospedeiros naturais do vírus Ebola. A taxa de fatalidade do vírus varia, neste momento, entre 25 e 90%. As respostas possíveis a dúvidas e questões podem ser consultadas em: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ebola-perguntas-e-respostas-1672539.

Apesar do anuncio hoje de duas vacinas que estão a ser testadas em humanos importa destacar que a doença é mortal e que o hábito de lavar as mãos é apontado como fundamental para evitar também o seu contágio.

NGSS

Os NGSS – The Next Generation Science Standards  dos EUA são as novas linhas de orientação curricular que foram, desde 2011, sendo sucessivamente discutidas com a participação de toda a sociedade e se apresentam como uma versão para ser agora operacionalizada e plasmada pelos vários estados daquele vasto país (http://www.nextgenscience.org/).

Existem outros e vários sites que os apresentam e descrevem e já tentam operacionalizar como por exemplo:

http://www.nap.edu/openbook.php?record_id=18290&page=R3

http://www.nextgenscience.org/search-standards-dci

http://ngss.nsta.org/about-the-next-generation-science-standards-2/

http://www.cde.ca.gov/pd/ca/sc/ngssintrod.asp

De uma primeira análise deste documento saliento:

  • O modo como está claro o arranjo de todas as áreas disciplinares ao longo de todo o ensino básico (elementar) e secundário (ver 2º site acima);
  • A Framework for K-12 Science Education que foi previamente publicada em livro e que está sintetizada em um vídeo (disponível ao fundo do link seguinte: http://sites.nationalacademies.org/dbasse/bose/framework_k12_science/index.htm
  •  A visão que está inerente a este Framework é que os estudantes devem envolver-se em 3 dimensões: (i) Práticas de Ciências e de Engenharia; (ii) em Conceitos que se cruzam; e (iii) Ideias disciplinares centrais (core).  A ênfase está nos conhecimentos, capacidades de pensamento, como a do crítico e criativo, e em atitudes para e sobre a Ciência.
  • Uma adequada visão sobre a avaliação e que está patente no livro Developing Assessments for the Next Generation Science Standards, publicado em 2013,develops an approach to science assessment to meet the vision of science education for the future as it has been elaborated in A Framework for K-12 Science Education (Framework) and Next Generation Science Standards (NGSS).

    Não temos de fazer cópias! Mas, em Portugal foi feito um percurso em outro sentido! Porquê? Qual a fundamentação para esta opção? Porque continuamos com um programa de Estudo do Meio (1º CEB) e de Ciências do 2ºCEB com mais de 20 anos?

IV/VIII Seminário CTS

Venho aqui anunciar a realização de outro evento importante para quem investiga e se interessa pela Educação em Ciências – o  IV Seminário Ibero-Americano CTS / VII Seminário CTS, em Bogotá (Colômbia) de 15 a 17 julho 2014 (ver toda a informação no site: http://seminarioiberoamericanocts.pedagogica.edu.co/vercontenido.php?idp=30).  Este dará continuidade aos Seminários anteriores que se realizam a cada dois anos, desde o ano 2000, quando ocorreu o I Seminário Ibérico CTS em Ensino de Ciências aqui em Aveiro. O tema fundamental será a Formação de Professores em Educação CTS.

Aproveito a oportunidade para divulgar e apelar à inscrição na Associação Ibero-americana CTS (AIA-CTS), com sede aqui na Universidade de Aveiro, a qual permite, desde logo, preços de inscrição diferentes no Seminário da Colômbia.

Captura de ecrã - 2013-10-09, 18.48.50

XV ENEC

Serve este post para divulgar e apelar à participação no XV Encontro Nacional de Educação em Ciência (ENEC) que se realizará em Faro (http://www.xvenec2014.com/) de 2 a 5 de março de 2014.

Este procura ser um espaço de:

  • divulgação da investigação nesta área do conhecimento; 
  • reflexão sobre as problemáticas atuais na educação em ciência, na escola e na sociedade;
  • reflexão sobre o conhecimento profissional dos educadores, sobre as suas práticas, os contextos e os recursos para a educação em ciência.

As áreas temáticas são diversificadas:

Conhecimento e desenvolvimento profissional de educadores e professores
Currículo e políticas educativas
Relação entre escola e comunidade
Ciências em contextos com especificidades
Ciências em diálogo com artes, literatura e sociedade
Tecnologia educativa
História e filosofia das ciências
Inovação didática em ciências físicas e naturais
Práticas educativas em ciências
Divulgação científica
Educação ambiental
Educação para a saúde

De entre as datas importantes destaco a da submissão de resumos que é até ao final de Novembro!

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Foi desenvolvido por um conjunto de investigadores, coordenados por Daniel Gil-Pérez e Amparo Vilches, um projeto de definição dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Os resultados deste trabalho coletivo de 59 participantes, no qual participaram vários investigadores Portugueses, estão incluídos na página web da Década da Educação para um Futuro Sustentável no novo tema de Ação Chave intitulado: “Objetivos de Desarrollo Sostenible (ODS)” acessível em:

http://www.oei.es/decada/accion.php?accion=25

Partilho também o que escrevem os  coordenadores deste valioso trabalho de sistematização:

“En este documento presentamos el Delphi, en el que has participado, como una respuesta al llamamiento de la Asamblea General de Naciones Unidas (resolución 66/288 de 2012) a la participación de la comunidad científica, así como de la ciudadanía en general, para el establecimiento de unos ODS y de una Agenda de Desarrollo post-2015, cuando termina el periodo previsto para tratar de alcanzar los más limitados Objetivos de Desarrollo del Milenio.

 El documento analiza críticamente algunas de las iniciativas internacionales ya en marcha y presenta los resultados del Delphi, que ha intentado superar un reduccionismo muy frecuente, que olvida dar respuesta a algunos de los problemas, estrechamente vinculados, que caracterizan la actual situación de emergencia planetaria, dificultando con ello muy seriamente la transición a la Sostenibilidad. 

Los resultados muestran claramente, pensamos, la posibilidad de construir la necesaria visión holística de lo que se precisa para lograr la transición a la Sostenibilidad. Esperamos que compartas con nosotros el interés de estos resultados.”

Metas de Ciências

Estão em fase de discussão pública as propostas de Metas Curriculares de Ciências Naturaishttp://www.dgidc.min-edu.pt/index.php?s=noticias&noticia=390 (5º ao 8º ano de escolaridade) e de outras disciplinas do 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico (CEB).

Apelo a todos (Professores, Pais, investigadores, …) que participem nesta discussão  até ao dia 25 de Março de 2013. Todos os contributos deverão ser enviados para o endereço de e-mail: metas.curriculares@mec.gov.pt.

Considero, ainda decorrente de uma primeira leitura das mesmas, que se perde mais uma oportunidade de fazer um novo programa, dado que, por exemplo, o do 2º CEB tem mais de 20 anos. Esta operacionalização do mesmo serve o quê? Quem? Para quê? …

Seria pois importante perceber a matriz, princípios e investigações recentes nesta área que foram tidas em conta no desenvolvimento deste trabalho que agora está à discussão!

Museu de História Natural, Londres - Dezembro de 2012
Museu de História Natural, Londres – Dezembro de 2012