Resultados PISA

O Coordenador do PISA – Andreas Scheicher – esteve em Portugal. Da sua conferência e entrevistas realizadas destaco um conjunto de ideias:

  • “É sempre muito difícil apontar causas e efeitos. “
  • “Os estudantes Portugueses são fortes nas tarefas que implicam reprodução de conhecimentos, mas a capacidade de extrapolar a partir do que sabem não é forte.”
  • “Um dos grandes desafios é fazer com que os professores vão além da mera reprodução de conhecimentos.”
  • “Em Portugal a sala de aula está fechada, mas é um dos países que melhoraram os resultados no último estudo da OCDE.”
  • “O insucesso diminuiu, mas reduzi-lo continua a ser um grande desafio.”
  • “É preciso um sistema de avaliação forte, em que o trabalho seja apreciado por múltiplos critérios. O desempenho dos alunos é um deles, mas não chega.”

Comentários? Concorda?…

Outras informações e dados recentes sobre este estudo e em termos comparativos com outros países podem ser consultadas em livros como o “Quality Time for Students – LEARNING IN AND OUT OF SCHOOL” que está disponível em:

http://browse.oecdbookshop.org/oecd/pdfs/browseit/9810051E.PDFhttp://browse.oecdbookshop.org/oecd/pdfs/browseit/9810051E.PDF

Farol visto do Molhe sul

 

Visão Crítica

Não posso deixar de incluir aqui o vídeo de um cidadão – Alexandre Soares dos Santos – Presidente do Grupo Jerónimo Martins e também Presidente do Conselho Geral da Universidade de Aveiro sobre a actual situação económica e social do país: – http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Negocios+da+Semana/2011/4/retrato-do-pais-por-alexandre-soares-dos-santos07-04-2011-05531.htm

Concorda? Porquê?

Beira Ria de Aveiro

Nuclear?

O sismo e maremoto que o Japão sofreu foram uma tragédia com imagens e sofrimento difícil de esquecer. Mas as consequências estão longe de ser locais pois a radioactividade decorrente do acidente na central japonesa de Fukushima tem-se evidenciado à escala global.

Tal tem levado a que vários países tenham decidido verificar as condições de segurança das suas centrais nucleares. Também o Parlamento Europeu vai analisar a questão da segurança do nuclear com a Comissão Europeia e com o Conselho Europeu na próxima semana em Estrasburgo. A agenda vai centrar-se nas consequências e nas recomendações a retirar do acidente nuclear no Japão. O objectivo final parece ser que a Comissão Europeia defina a curto prazo o alcance dos «testes de stress» aos reactores nucleares da UE.

Mas, este acidente também proporcionou novo debate sobre a energia nuclear. Para um aprofundamento deste aconselho a leitura de artigos e posições como:

http://www.oei.es/decada/boletin063.php

http://www.elmundo.es/blogs/elmundo/clima/2011/03/23/la-gran-mentira-la-energia-nuclear.html

http://www.ionline.pt/conteudo/12679-italia-volta-apostar-na-energia-nuclear-depois-interregno-22-anos-

Com toda esta contestação a Rússia decidiu construir a primeira central nuclear flutuante (ver notícia em: http://www.ionline.pt/conteudo/4891-russia-comeca-construir-primeira-central-nuclear-flutuante).

Qual a sua posição sobre esta questão?