EDS

Na página da NET da Década da Educação Para o Desenvolvimento Sustentável [EDS] a OEI acaba de publicar o seu nº 65, de título “Día Mundial del Medio Ambiente en un año crucial”, ao qual se pode aceder em:

http://www.oei.es/decada/boletin065.php.

Barra, Maio de 2011

Neste boletim lembra-se que 2011 é mais um ano de defesa do meio ambiente e no qual se reclama a implicação cidadã de todos. Destaca-se ainda o denominado “Memorando de Estocolmo: Inclinando la balanza hacia la sostenibilidad”.

Boa leitura e acções em prol da EDS.

Números

Ao ler  os jornais desta 1º semana de campanha e consultando sites e blogs diversos, além dos programas dos partidos, especialmente na área da educação avanço com alguns números que me impressionam:

  • 200 mil Portugueses deixaram de procurar emprego; ou sejam não estão nos cerca de 12% desempregados do país;
  • 23% das crianças do nosso país estão abaixo do limiar da pobreza.
  • A idade média dos portugueses actuais é de 38,5 (36,4 nos Homens e 40,6 nas mulheres); nasceram desde 1 de Janeiro de 2011 e até este momento 44 537 pessoas;
  • Já existem cerca de 5000 professores no ensino básico e secundário com Mestrado e Doutoramento (ainda não contando com os de Bolonha, para os quais o Mestrado será habilitação profissionalizante);
  • 40% dos portugueses ainda está indeciso sobre o sentido do seu voto no próximo Domingo.

O que representam / significam estes número tão díspares?

Do meu ponto de vista destaco:

  1. São pessoas reais que têm de ser consideradas nos debates e discussões, nomeadamente da próxima semana e depois realmente considerados nas decisões políticas;
  2. É muito complexo educar nestas condições apesar do aumento das qualificações dos docentes portugueses; como educar crianças que pouca ou nada têm para se alimentarem devidamente?
  3. Apesar das muitas sondagens o vencedor e o ou os partidos necessários para uma maioria parlamentar, nas próximas eleições legislativas, podem ser uma surpresa.
Pessoas em Barcelona

Educação em tempos de crise

Acaba de ser publicado um documento de trabalho da OCDE que vale a pena consultar dado os tempos que vivemos. A sua referência completa é:

Damme, D. V. and K. Karkkainen (2011). OECD Educationtoday Crisis Survey 2010: The Impact of the Economic Recession and Fiscal Crisis on Education in OECD Countries. OECD Education Working Papers, No. 56, OECD Publishing.

e pode ser consultado aqui (OECD EDUCATIONTODAY CRISIS SURVEY 2010).

 

As grandes conclusões deste estudo não são negativas. Por exemplo a primeira referida no documento atesta:

The survey data does not portrait an education system dramatically affected by overall budget cuts. In countries where public investment in education has diminished, the effects are still very specific and concentrated, and vary across and within sectors of education.

De qualquer modo cruzando as linhas gerais na área da educação dos principais partidos portugueses com as orientações do documento da “Troika” será difícil que a recessão não afecte a educação; por exemplo, vejo com preocupação, no actual contexto económico e social, que as empresas valorizarem a educação, particularmente o esforço que é exigido na melhoria da qualidade do Ensino Profissional.