Justa Homenagem

Realizou-se na Universidade de Aveiro, no passado dia 3 de outubro, uma Homenagem à Professora Doutora Isabel P. Martins.  Foi uma iniciativa de um grupo de colegas e amigos, onde me incluo, da Universidade de Aveiro e de outras Instituições.

Sob a forma de  Simpósio: “A docência como via de intervenção” decorreu como se resume no quadro seguinte.

16:00 Abertura

Reitor | Diretor do DE | Coordenadora do CIDTFF

16:30 Conferência “Educação em Ciências: 50 anos depois”

António Cachapuz

17:00 Painel “Em perspetiva…”
17:45 “Uma vida ao serviço da Educação em Ciências”

Rui M. Vieira e Ana V. Rodrigues

18:00 Conferência “História de um percurso de vida”

Isabel P. Martins

18:30 Trio de Guitarras Aveirense

Eduardo Barretto

19:30 Jantar

Considero que foi uma homenagem merecida e com um programa que se revelou muito intenso, rico e com muitos amigos da Professora Isabel Martins. Da minha parte tive o privilégio de a ter tido como orientadora de Doutoramento e ter participado com ela em emblemáticos projetos, como as Metas de Aprendizagem e sobretudo do Programa de Formação em Ensino Experimental das Ciências.

Foi muito marcante ter assistido a testemunhos muito genuínos e que mostram a pessoa e profissional que é e foi a Professora Isabel Martins ao longo da sua carreira.  Estes podem ser vistos no menu “homenagem” do site que a Comissão Organizadora desenvolveu com o apoio técnico precioso de Maria João Pinheiro: http://blogs.ua.pt/isabelpmartins/

Neste é possível ter acesso ao vasto Curriculum Vitae da Professora Isabel, bem como a uma timeline do seu percurso e várias fotografias com a que deixo aqui tirada enquanto Vice-Reitora da Universidade de Aveiro.

Captura de ecrã - 2014-10-25, 22.50.09

Ébola

A febre hemorrágica ou ébola é a doença provocada por um vírus mortal e altamente contagioso. Os sintomas têm início duas a três semanas após a infeção.
A primeira vez que este vírus surgiu, segundo o site dos Médicos sem fronteiras (http://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/ebola) foi em 1976, em surtos simultâneos em Nzara, no Sudão, e em Yambuku, na República Democrática do Congo, em uma região situada próximo do Rio Ebola, que dá nome à doença. Este e vários sites, como: http://pt.wikipedia.org/wiki/Febre_hemorr%C3%A1gica_%C3%89bolahttp://www.dgs.pt/paginas-de-sistema/saude-de-a-a-z/ebola.aspx) referem que  os morcegos frutívoros são considerados os hospedeiros naturais do vírus Ebola. A taxa de fatalidade do vírus varia, neste momento, entre 25 e 90%. As respostas possíveis a dúvidas e questões podem ser consultadas em: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ebola-perguntas-e-respostas-1672539.

Apesar do anuncio hoje de duas vacinas que estão a ser testadas em humanos importa destacar que a doença é mortal e que o hábito de lavar as mãos é apontado como fundamental para evitar também o seu contágio.