Pensar Educação

Como membro do grupo da tertúlia “Pensar Educação” que, tal como está no seu blog (http://tertuliapensareduca.blogspot.pt/), tem como seu objetivo mobilizar para o debate das questões prementes da Educação em Portugal, convido todos a participar na mesma e a divulgá-la.

A 1ª tertúlia, a realizar no dia 12 de fevereiro de 2015, contará com a presença do Professor António Nóvoa, de acordo com o programa seguinte:

19h30 | Início do Jantar: Hotel Imperial em Aveiro.

20h10 | Intervenção Convidada:

António Sampaio da Nóvoa – “Portugal e Educação”.

Ant_Novoa

António Nóvoa é historiador e pedagogo. Doutor em História pela Universidade de Paris IV-Sorbonne e Doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra. Foi Reitor da Universidade de Lisboa entre 2006 e 2013. Em 2014, foi-lhe atribuído o título de Reitor Honorário da Universidade de Lisboa. Também em 2014, foi galardoado com o Prémio Universidade de Coimbra.

20h50 | Questões Intervenções dos participantes, por inscrição prévia (máximo de 3 min cada).

22h30 | Encerramento pelos Organizadores.

Convidamos todos a participar ativamente. Alertamos que só existem 50 lugares, os quais podem ser reservados em: http://form.jotformeu.com/form/50227436927357

Destaque Renovado

Que o Pensamento Crítico (PC) vai ganhado destaque não parece haver dúvidas. São várias as evidências que apontam para este interesse. Entre estas destaco algumas das mais recentes:

“Pensar com Clareza”

Este Natal ofereceram-me o Livro “A arte de Pensar com Clareza” de Rolf Dobelli (2013) do Círculo de Leitores (ver, por exemplo: http://www.wook.pt/ficha/a-arte-de-pensar-com-clareza/a/id/14953399).  Acabei por o ler com muito interesse pois tem um conjunto de 52 crónicas sobre o mesmo número de “erros de raciocínio que não devemos cometer”.

Em cada um deles o autor apresenta, várias vezes com humor, diversas situações e histórias que ilustram cada um destes erros. Dos mesmos destaco dois:

– “O efeito do excesso de confiança”

“O excesso de confiança faz com que não se repare na diferença entre o que realmente sabemos e aquilo que julgamos saber. […] Não há, na prática, um único projeto que se afirme de forma rápida e com custos inicialmente previstos”.
– “A tendência de confirmação”
“Quando surge  a expressão “caso especial”, vale a pena pormo-nos à escuta com redobrada atenção. Muitas vezes o que ela esconde é uma prova refutativa”.
capa do livro
capa do livro