Seminário CTS

Realizou-se de 3 a 5 de Julho de 2008, na Universidade de Aveiro, o V Seminário Ibérico / I Ibero-americano CTS no ensino das Ciências sob o tema: “Educação Científica e Desenvolvimento Sustentável”. Como elemento de Comissão Organizadora e Científica não vou fazer apreciações sobre o mesmo e a sua qualidade; aliás a avaliação do Seminário foi realizada por um conjunto de investigadores independentes do Seminário e pertencentes ao Centro de Investigação Didáctica e Tecnologia na Formação de Formadores [CIDTFF] e será divulgada no site do mesmo (http://www.dte.ua.pt/PageText.aspx?id=7503). Do diversificado programa científico do seminário ressalto as Actas (em CD-ROM) onde se incluíram os textos de todas as conferências, comunicações convidadas, painéis, oficinas práticas e posters. Do mesmo sistematizo a seguir a sua sequência organizativa:

Quinta-feira 3 Julho 2008

8h30 Entrega de Documentação e afixação de Posters
9h30 Sessão de Abertura
10h00 Conferência de Abertura
Riscos de insustentabilidade. Quais os caminhos para um desenvolvimento sustentável?
Filipe Duarte SantosModeradora: Isabel P. Martins
11h00 Pausa para café
11h30 Comunicações ConvidadasAno Internacional do Planeta Terra e Educação para a SustentabilidadeM. Helena HenriquesCiência e sociedade – formação de professores de matemática através de problemas históricosFátima Regina Jorge, Fátima Paixão e Isabel CabritaModeradora: Amparo Vilches
13h00 Almoço
14h30 Comunicação Convidada¿Quién tiene razón y por qué? Aprender a dudar y a decidir a partir de la lectura crítica de textos de ciencias Mercè IzquierdoModeradora: Fátima Paixão
15h00 Painel 1Literacia e Educação para o Desenvolvi­mento Sustentável – Décadas para reflexão e acçãoParticipantes: Amparo Vilches, Francisco Martínez, M. Arminda Pedrosa e Patrícia SáCoordenadores: Daniel Gil-Pérez / João Praia
16h30 Pausa para café
17h00 –– 18h30 Oficinas Práticas (nove oficinas em paralelo )

 

Sexta-feira 4 Julho 2008

9h00 Comunicações ConvidadasPromoção do interesse e da relevância do ensino da ciência através da discussão de controvérsias sociocientíficasCecília Galvão e Pedro ReisCompetencia científica y actividades de aula Juana Nieda Climántica, Educação Ambiental e mudanças climáticasFrancisco Soñora LunaModerador: Fátima Paixão
10h30 Apresentação e Discussão de PostersModeradores: Fátima Paixão e Ángel Vázquez
11h00 Pausa para café
11h30 Painel 2 Integração de conteúdos CTS: dos currículos às práticas em sala de aulaParticipantes: Alcina Mendes, Ana Melo, Cristina Rueda, Miguel Ángel Gómez Crespo e Sílvia LopeCoordenador: Aureli Caamaño
13h00 Almoço
14h30 Comunicações ConvidadasEscuela, Tecnologías y Desarrollo Sostenible: La UNESCO y las competencias tecnológicas del profesoradoJosé Antonio Ortega CarrilloPercursos na Formação de Professores de Ciências / QuímicaIsabel Sofia Rebelo Moderador: Rui M. Vieira

Sábado 5 Julho 2008

9h00 Painel 3As revistas de educação em ciências na investigação, na formação e na práticaParticipantes: Aureli Caamaño, Fina Guitart, Gisela Hernández, José Maria Oliva, Juan Carlos Toscano, Mercè Izquierdo, Montse Tortosa, Pedro Membiela e Wildson SantosCoordenadora: Laurinda Leite
10h30 Apresentação e discussão de PostersModeradores: José María Oliva e Cecília Galvão
11h00 Pausa para café
11h30 Conferência de Encerramento¿Qué podemos esperar de la nueva asignatura de Ciencias para el mundo contemporáneo?Emilio PedrinaciModeradora: M. Arminda Pedrosa
12h30 Conclusões e EncerramentoIsabel P. Martins e Aureli Caamaño

O Próximo seminário de 2010 realizar-se-á em solo sul-americano ficando os participantes das 6 Universidades Brasileiras presentes em Portugal responsáveis pela sua organização.

Criatividade Musical

Depois de um paragem, neste blog, de mais de um mês, tentarei incluir alguns dos assuntos que me ocuparam durante esse período.

Mas, antes disso, e também como estou a 15 dias de merecidas férias, este artigo centra-se na música. Depois de ouvir alguns temas na Rádio Comercial e do meu filho me ter sistematizado o que de melhor se tem feito, na opinião dele, na música Portuguesa, dei conta que se vive um momento de lançamento de músicos e grupos novos no panorama nacional. Mas o que mais destaco é a criatividade (essencialmente alguma originalidade e elaboração) das letras, vídeos e algumas sonoridades.

Destas apresento aqui as seguintes:

Per7ume – Intervalo (participação de Rui Veloso)

Classificados – Rosa (do teu jeito de ser)

Ricardo Azevedo – Entre o Sol e a Lua (esta noite)


“Maior Falhanço”

Depois de ler a entrevista do Presidente cessante da AEP – Ludgero Marques  ao Expresso – Economia do passado dia 31 de Maio, dada a sua vasta experiência e intervenção na sociedade Portuguesa, 3 citações, do meu ponto de vista, merecem destaque. São elas:

  1. “O maior falhanço é na Educação. É o problema mais grave. Sem esquecer a falta de qualidade de políticos e académicos”.
  2. Há meia dúzia de grandes empresas que influenciam e mandam no país. No círculo do poder só penetram os políticos e académicos”.
  3. “Esta é a pior crise de todas”.

Destas afirmações e de toda a entrevista resulta uma visão crítica da actual sociedade Portuguesa, particularmente dos políticos e académicos (quem são estes últimos? todos os docentes do Ensino Universitário? do Superior?…) e da Educação. Neste quadro, pergunto:

  • Existe falanço na Educação? A que nível(eis)? Porquê?
  • Será só responsabilidade dos políticos e académicos?
  • Em caso afirmativo (tudo aponta nesse sentido, mas conto mais profunda e fundamentadamente retomar esta questão) como ultrapassar esta situação rápida e seguramente?
  • Qual o contributo dos professores neste cenário?

Fundir o 1º com o 2º CEB

Por forma a apelar a uma maior participação neste blog dado que muitos do que o consultam são Professores do 1º e/ou 2º Ciclos do Ensino Básico [CEB] e por ter sido uma questão a que a comunicação social deu destaque esta semana, pergunto:

  • É favor ou contra a fusão do 1º como o 2ª Ciclo? Porquê?
  • Não é essa uma das lógicas da formação destes Professores à luz do processo de Bolonha e que já está a ser implementado desde 2007/08 com o início da Licenciatura em “Educação Básica”?
  • No contexto daquela Licenciatura (não profissionalizante) e dos Mestrados que lhe dão continuidade pode haver, a médio prazo, até a “fusão” da Educação Pré-escolar com o 1º Ciclo (perfil 3) ou do 1º e 2º CEB (perfil 4); quais as implicações desta realidade, por exemplo, na rede escolar? E nos concurso dos professores? …

Espero poder ir apresentando a minha posição sobre estas questões nos comentários que surjam!

O Pensamento Crítico de Saramago

Depois de ter lido a entrevista / reportagem da Revista Tabu (nº 84 de 19 de Abril) ao nosso Nobel da Literatura – José Saramago, passou um mês e as suas palavras mantêm-se e até reforçam o seu sentido. Este disse, entre outras, que “O que falta em Portugal é sentido crítico. Estamos muito aborregados. Nem somos capazes de balir. Mééé!”; e acrescenta: “O tempo das verdades plurais acabou. Vivemos no tempo da mentira universal”.

Da sua experiência e já longa vivência destaco o que penso ser um conjunto de alertas, os quais a investigação em educação (ver algumas publicações neste blog) tem vindo a confirmar:

-Precisamos de promover o Pensamento Crítico [PC] na nossa sociedade; a escola é o contexto privilegiado para tal.

-Infelizmente os alunos e os cidadãos, em geral, não têm tido oportunidade de  estimular, manifestar e usar as suas capacidades de pensamento crítico, como avaliar a credibilidade da informação, uma vez que “vivemos no tempo da mentira universal”; temos de sair da “caverna”!

-É preciso educar todos e formar os professores para esta realidade social, na qual o PC é uma “ferramenta” crucial para a sobrevivência! O uso destas capacidades acarreta, se usadas com as respectivas disposições, uma maior cidadania; por exemplo, não podemos continuar a aceitar o uso de falácias, como a do ataque pessoal, que nas últimas semanas têm sido muito usadas (alguma vez não o foram!) na vida política Portuguesa.

Combate à Fraude na net

capalivronegro1.jpg 

A capa acima é de um livro que deve ser divulgado. Como está na folha de rosto do mesmo, trata-se de: “Um Guia de Fraudes, Vigarices, Trapaças, Burlas, Intrujices, Logros e Desfalques para Uso do Consumidor” que são cada vez mais frequentes na net. Todos, especialmente os jovens utilizadores, precisamos de ser educados para o combate e a defesa de situações como as descritas. Apesar de estar adaptado à realidade portuguesa pela Direcção-Geral do Consumidor, este livro foi elaborado com base na publicação “The Little Black Book of Scams” editado pela congénere Australiana. Pese embora o interesse global, aconselho a leitura de dois capítulos: “Esquemas em pirâmide e Ofertas fascinantes”. Boa leitura!esquemasefraudesnanet.pdf

Delinquência(s) nas escolas Portuguesas

Passada a “onda” da propalada situação da professora que tentou tirar o telemóvel a uma aluna e de toda a ambiência (as imagens passaram repetidas vezes nas televisões) evidenciada, parece-me um momento para “pensar criticamente” sobre a questão da deliquência (ou no plural?) nas escolas portuguesas. Não posso, também e nesta data, deixar de referir a última notícia que a comunicação social divulgou: “Uma Professora de uma Escola EB 2,3 do Barreiro foi agredida por uma aluna; esta docente apresentou queixa na PSP local e deu entrada no hospital, o qual confirmou que aquela foi vítima de agressão”.

E, em uma rápida pesquisa no youtube ou no youteacher encontram-se imagens de escolas Portuguesas, que embora não tenham situações de agressão física, a maioria mostra agressões verbais e gestuais e contextos pouco ou nada “educativos”! Não tenho conhecimento de estudos que documentem a extensão deste problema. As situações de que vou pessoalmente tendo conhecimento são muito preocupantes!

Neste quadro, começo por questionar:

  • Até quando se vai continuar a assistir e a permitir estas situações? É preciso haver uma tragédia para se tomarem decisões sérias?
  • O que se pode fazer para mudar esta situação?

Não sou defensor de “medidas punitivas sérias” mas defendo algumas mudanças, o quanto antes, que passam por:

-Um Sistema Judicial rápido e actuante; louvo a preocupação do Sr. Procurador Geral da República sobre esta problemática, mas são necessários exemplos concretos de resolução e decisões céleres que não permitam que o agressor (como provavelmente acontecerá na situação acima referida) continue a “desafiar” o sistema e, directamente a “vítima”!

-Estatuto do Aluno e Regulamentos de escolas / agrupamentos claros e inequívocos no enquadramento das várias situações que em cada contexto educativo devem ser privilegiados nos vários tipos de deliquência(s) e indisciplina(s) que as escolas e os Conselhos Executivos bem conhecem.

-Devolver a autoridade aos professores e estes assimirem o seu papel de educadores plenos.

-Formação de professores para estas (novas?) realidades e aposta inequívoca na promoção de competências (conhecimentos, capacidades de pensamento e atitudes / valores) dos alunos – futuros cidadãos.

Este assunto não está “esgotado”. Longe disso, … mas é tempo de pensar e actuar para melhorar.

Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável

Entre muitos outros esforços que têm sido desenvolvidos para o impulso e destaque que esta iniciativa das Nações Unidas promove de 2005 a 2014, destaco:

– O site “Década para una Educación para la Sostenibilidad” patrocinado pela Organização dos Estados Iberoamericanos -OEI e dinamizado por um conjunto reputado de investigadores e professores espanhóis.
http://www.oei.es/decada/

– A realização de vários Seminários, Encontros e Congressos. Por também estar envolvido e estar relacionado com uma das temáticas deste blog, convido à participação no

V Seminário Ibérico
I Seminário Ibero-americano
CiênciaTecnologiaSociedade no Ensino das Ciências
CienciaTecnologíaSociedad en la Enseñanza de las Ciencias

Educação Científica e Desenvolvimento Sustentável
Educación Científica y Desarrollo Sostenible

35 de Julho 2008

 

Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa
Universidade de Aveiro
Portugal

http://web.dte.ua.pt/vcts/

– As investigações que têm sido realizadas, como as que o Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa da Universidade de Aveiro tem orientado no contexto de dissertações de Mestrado e Teses de Doutoramento; nas primeiras está o caso da realizada pela Mestre Susana Sá (a qual recebeu com a mesma o prémio Prémio GPS – Educação e Formação, atribuído pela primeira vez em 2007, com o intuito de distinguir o melhor trabalho académico sobre temas que se insiram na área da Educação e Formação de Jovens) e, como exemplo das segundas, a realizada pela Doutora Patrícia Sá.

– A divulgação de iniciativas como a que se inclui no vídeo anexo. São mudanças (pequenas!) que farão toda a diferença no futuro, nomeadamente de um recurso como a água.