TIC e PC

Como sugestões de leitura, aconselho alguns artigos que estão no site (http://www.laclo.org/laclo2011) do  “Sexto Congresso Latinoamericano de Objetos de Aprendizagem”, que decorreu na semana passada em Montevideo, no Uruguay.

Destaco dois artigos que se referem ao Pensamento crítico (de modo implícito):

O Papel das Ferramentas WEB 2.0 no Desenvolvimento 
de Novas Habilidades para Novos Estudantes e Novos Docentes
WebQuest: Artefato Educacional baseado nas tecnologias da Web 2.0

Boas leituras. Comentários?

Novos artigos sobre PC

Aqui incluo (depois actualizarei as publicações deste blog) os últimos artigos que publiquei, com outras colegas, sobre Pensamento Crítico (o primeiro com acesso grátis) e com ele relacionado:

Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C., e Martins, I. P. (2011). Critical thinking: Conceptual clarification and its importance in science education. Science Education International, 22 (1), 43-54. (http://www.icaseonline.net/sei/march2011/p4.pdf)

Pereira, S., Rodrigues, M. J., Martins, I. P., Vieira, R. M. (2011). Pre-school science education in Portugal: teacher education and innovative practices. The Journal of Emergent Science, 1 (1), 23-31. (ISSN 2046-4754)

Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C., e Martins, I. (2010). Pensamiento crítico y literacia científica. Revista Alambique – Didáctica de las Ciencias Experimentales, 65, 96-103.

Boas leituras e todos os comentários são bem-vindos.

Pensamento Crítico no Ensino Superior

Saiu na passada segunda-feira, dia 6 de junho, uma notícia do jornal Público que merece este destaque e divulgação. Trata-se de um projecto pedagógico focado na promoção do pensamento crítico e que é considerado pela OCDE como inovador, o qual está a ser implementado na Universidade Católica do Porto.

Destaco aqui algumas das razões que estão incluídas na notícia:

  • “Todos nos queixamos que os jovens que chegam à universidade têm dificuldades em formular juízos críticos” (Joaquim Azevedo);
  • “Saber questionar o que se vê e ouve, descodificar falsas retóricas e construir uma argumentação crítica fundamentada”.

Ora esta tendência de incluir nos primeiros anos do ensino superior a promoção de capacidades de pensamento crítico em cursos específicos ou em diferentes Unidades Curriculares (vulgo disciplinas) torna-se cada vez mais premente!  Assim, como se torna crucial que os professores, incluindo os do ensino superior, tenham formação de como poderão promover este tipo de pensamento em si e nos seus alunos.

Trata-se de um grande desafio! Mas os resultados dos estudos que temos desenvolvido tem sistematicamente evidenciado que os alunos Portugueses são capazes de mobilizar as suas capacidades de pensamento crítico.

Exploratório de Coimbra

Educar para a “desobediência”?

Entre notícias especialmente focadas na campanha para as presidenciais e a “crise” financeira, descobri uma notícia que merece destaque e pode ser lida em:

http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/escola-deve-estimular-pensamento-critico-dos-alunos-diz-exministro-da-justica_1368618

De título:
Escola deve estimular pensamento crítico dos alunos, diz ex-ministro da Justiça

a notícia chama a atenção para a defesa de uma necessidade que é finalidade última deste blogue. Mas o breve texto seguinte deixa logo alguma preocupação:
“A escola actual deveria educar para a “desobediência” no sentido em que deve estimular nos alunos o desenvolvimento de pensamento crítico,…”.

Será esta notícia lida com “sense” (bom senso)?
Ou não se correrá o risco de associar o Pensamento Crítico à “desobediência”? Ou mesmo “rebeldia”?
O que pensa(m) disto?

Tipos de pensadores

Tenho assistido com preocupação ao modo como se usam falácias na vida política e social Portuguesa. Tal é claramente visível na comunicação social e na blogsfera, nomeadamente da educação. Existem muitos ataques pessoais, particularmente ao poder político actual, inferências inválidas, muitas opiniões pouco sustentadas, … enfim a “crítica do bota abaixo”, que é um caminho fácil, mas pouco construtivo e produtivo!

Ora, não estarei a ser exagerado se afirmar que em muitas situações se assiste a ausência total de capacidades de pensamento crítico. Precisamos, pois, de fazer uma melhoria efectiva do potencial cognitivo que temos e de ter melhores pensadores. Onde a educação intencional e sistemática, desde os primeiros anos, tem um papel crucial!

Para melhor se explicar os 3 principais tipos de pensadores sugiro um vídeo que está no youtube, apresentando aqui a versão de Português do Brasil para crianças.
Comentários?

Pensamento Crítico na web e Blogosfera

Depois de uma pesquisa pela web e blogosfera sobre o “pensamento crítico” em português verifiquei que este “movimento” , pese embora a sua heterogeneidade, está cada vez mais dinâmico e interventivo. Da análise de muitas das páginas e blogs destaco: