Primeira peça do mês – outubro 2017

A música portuguesa no mundo

No dia 1 de outubro, comemora-se, uma vez mais, o Dia Internacional da Música.

Em jeito de homenagem a este Dia Internacional, a área de Museologia da UA apresenta um pequeno texto sobre uma das peças mais raras da sua coleção de discos goma-laca de 78 rpm, doada pelo colecionador e editor José Moças, que marca a história dos primeiros passos da música portuguesa, no mundo. Apresenta, ainda, as imagens desse disco e uma curta gravação do mesmo.

Na sua digressão europeia para divulgação da sua empresa, do seu invento e do seu trabalho, Berliner enviou os seus engenheiros de som a Portugal, mais concretamente ao Porto. E, com o Gramophone, realizam-se as primeiras gravações de música portuguesa, internacionalizando-a. De notar, que Emile Berliner, um alemão emigrado nos EUA, já tinha desenvolvido um processo de registo sobre um disco plano, e a sua reprodução fazia-se num aparelho designado por gramofone, cuja vantagem foi a possibilidade de criar inúmeras cópias, a partir de um master.

Na sua coleção de discos goma-laca, a Universidade de Aveiro detém algumas dessas primeiras gravações, realizadas em 1900, ano em que apenas foram efetuadas 87 cópias. O desconhecimento de quantas destas cópias possam ter chegado aos dias de hoje, torna as daquela coleção uma autêntica raridade e preciosidade. Até há bem pouco tempo, dizia-se que as gravações mais antigas de 78 rpm em Portugal datavam apenas de 1902. Alguns especialistas atribuem isto ao facto de Portugal ter sido muitas vezes considerado como sendo uma província espanhola e, embora nos catálogos da época, esta gravação, como se pode ver pela imagem, refira que foi feita no Porto, na rodela do disco aparece como intérprete o Señor Duarte Silva, escrito em espanhol, ao invés de aparecer a designação portuguesa, Senhor Duarte Silva.

Inseridas na coleção José Moças de discos goma-laca de música portuguesa, datados de início do século XX até aos anos 50, outras joias da história da música portuguesa, como “Fado Hylario” e “Oh Julia”, testemunham-nos a divulgação do português cantado, pela Europa e pelo mundo.

Instituição proprietária – Universidade de Aveiro
Categoria – Discos 78 rpm
Tipo de material – Goma-laca
Título – Fado Hylario
Intérprete – Señor Duarte Silva
Local de edição – Porto Editora – E. Berliner’s Gramophone
Data – [1900]
Nº de editor – 62647
Peso – 104 g
Diâmetro – 17,7 cm
Doador – José António Pé-Curto Moças

Esta entrada foi publicada em Discos goma-laca, José Moças, Peça do mês com as tags . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *