2ª peça do mês – maio 2018

A segunda peça em destaque no mês de maio, trata-se de um disco de goma laca da coleção José Moças.

No mês em que perfaz 38 anos da sua morte, fazemos referência a Maximiano de Sousa. Mas quem foi Maximiano de Sousa? Dito assim, certamente não será reconhecido, mas se fizermos referência a Max, já alguns se recordarão.

Na verdade, Max foi um cantor madeirense que se tornou numa das mais populares vozes da rádio, da televisão portuguesa e até mesmo do teatro de revista, desde os anos quarenta até aos anos oitenta.

As canções Bailinho da Madeira, Noites da Madeira, A mula da cooperativa, A Rosinha dos Limões, Pomba Branca e O Magala são alguns dos seus êxitos mais conhecidos.

O reconhecimento que lhe é devido levou-nos a selecionar, como “Peça do mês” de maio, o Baile dos vilhões, uma canção de Max  gravada em 1948, e que faz parte integrante da coleção de discos de 78 rpm, doada à UA, pelo colecionador e produtor José Moças.

Max faleceu no dia 29 de maio de 1980.

Esta entrada foi publicada em Discos goma-laca, José Moças, Peça do mês com as tags , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *